Blog

nome-fantasia-e-razao-social

5 diferenças entre razão social, nome fantasia e marca

Você sabia que o registro da razão social não garante exclusividade de uso da marca? Saiba mais sobre essa e outras diferenças!

Ao abrir uma empresa, existem inúmeros detalhes a se atentar: CNPJ, alvarás, razão social, contrato social, marcas, etc. É preciso estar bem informado para que tudo ocorra da melhor maneira.

Você sabe as diferenças entre razão social e marca? Muitos confundem esses conceitos e vamos lhe esclarecer.

Razão Social e Marca

1. Objetos de identificação

A Razão Social, também chamada de Nome Empresarial, identifica o empresário, seja pessoa física ou jurídica; está presente no CNPJ e em documentos como contrato social, notas fiscais e outros. Por outro lado, a marca é utilizada para comercializar os produtos e serviços.

2. Órgãos de registro

A razão social deve ser registrada na Junta Comercial, enquanto a marca tem o INPI (Instituto Nacional de Propriedade Intelectual) como órgão responsável pelo registro.

3. Tempo para o registro

Esse processo demora de 1 a 2 meses para o registro da razão social e até 10 meses para a concessão da marca.

4. Abrangência da proteção

A proteção da razão social é restrita ao estado onde a empresa está localizada, sendo necessário registrar em cada Junta Comercial caso queira expandir para outras localidades. Já a marca, quando concedida, é protegida em todo o país.

Porém, a marca é válida apenas para o ramo da atuação da empresa, ao contrário da razão social, que é protegida independente do segmento.

5. Prazo de validade

A razão social tem prazo indeterminado, continuando a existir enquanto tiver sendo exercidas as atividades empresariais. Já a marca tem a proteção durante 10 anos, que podem ser renovados pelo mesmo período infinitas vezes.

Marca e Nome Fantasia

Outra possível confusão pode ocorrer entre marca e nome fantasia. O nome fantasia é aquele utilizado na fachada da empresa e em outros materiais de divulgação, como site, redes sociais, podendo ou não estar presente no contrato social.

Porém, o registro desse nome na Junta Comercial não garante à empresa a posse, exclusividade de uso e possibilidade de licenciamento, sendo necessário o registro junto ao INPI, transformando esse nome fantasia em marca registrada.

Portanto, vale ressaltar que o registro do nome empresarial e nome fantasia na Junta Comercial não é suficiente para a empresa ter exclusividade de uso da marca e possibilidade de licenciamento da mesma. Para tal, deve-se iniciar o processo de registro junto ao INPI.

Atente-se a todos esses importantes detalhes e muito sucesso em seus empreendimentos!

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email
Categorias